Especialista dá dicas de como organizar a mudança residencial

Rate this post




Separar os itens de acordo com cômodo facilita a arrumação e também agiliza no transporte. Especialista dá dicas de como organizar a mudança
Divulgação
Mudar de casa pode ser uma situação estressante em muitos casos, pois demanda tempo e planejamento, desde embalar os talheres da cozinha até organizar as roupas penduradas no armário, por exemplo.
Para evitar que a mudança residencial se torne um caos, a professora Eliana Pace, que ministra aulas de organização de residências no Senac em Sorocaba (SP), dá dicas de como lidar com o processo, mostrando a maneira mais fácil e simples de fazer a mudança.
Organizando a mudança
Segundo a especialista, separar os itens de acordo com o cômodo facilita o processo de organização na nova moradia. Uma boa estratégia é elaborar uma lista identificando o conteúdo de cada caixa de papelão e colar um papel sobre ela. “Caso necessite de um item de última hora, a identificação de sua localização será rápida”, explica Eliana.
Remédios, documentos pessoais, boletos com vencimento próximo, produtos de higiene pessoal e algumas peças de roupas devem ser colocados em uma bagagem de mão, que funcionará como auxílio para uso na primeira semana na casa nova. “A mudança pode atrasar e comprometer seriamente a vida das pessoas que dependem desses itens” comenta a docente.
Separar os itens de acordo com o cômodo, facilita o processo de organização na mudança
Divulgação
Descartando itens
Enquanto organiza a mudança, a especialista orienta que se ponha em prática o método do descarte. Ele consiste em separar os itens mais usados e avaliar a necessidade de cada um na hora de encaixotar. Isso ajuda a identificar os objetos em desuso e que ocuparão espaço desnecessário na futura casa. Ele pode ser dividido em quatro etapas:
Prioridade: Leve os itens que você realmente irá utilizar na sua nova casa. É importante guardar somente itens que trazem alegria, focando na funcionalidade do objeto;
Venda: Objeto que não foi utilizado em período maior de seis meses merece passar por uma análise. Considere vender e fazer uma economia para os eventuais gastos na mudança;
Doação: Pense e avalie o que não te serve mais, poderá ser muito bem aproveitado por um amigo, vizinho ou uma instituição de caridade;
Reciclagem: Quando os itens não têm mais condições de uso, pense na possibilidade de transformar aquele objeto ou peça de roupa em algo novo. Lembre-se dos 5 R’s: repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar.
Embalando a mudança
Na hora da mudança, uma das preocupações é perder algum objeto importante. Para que isso não aconteça, Eliana orienta que as caixas de papelão sejam lacradas por inteiro. Casos as peças sejam delicadas, podem ser embaladas com plástico bolha ou papel seda. Na hora de organizar os itens, a especialista explica o que colocar em cada caixa de maneira correta:
Caixas pequenas: decoração pesada e fotos;
Caixas médias: enxoval e utensílios de cozinha. Os itens podem ser colocados dentro de sacos plásticos transparentes e limpos para não sujar o que será transportado;
Caixas grandes: sapatos e acessórios.
Para facilitar ainda mais a mudança, uma alternativa é utilizar caixas de plástico transparentes, opção que foi escolhida pela estudante Ana Caroline Moura Dias, de 20 anos, ao se mudar para Sorocaba. “Optei por colocar meus livros em caixas organizadoras, já que eram mais pesados, e era mais fácil para levar na mão. Mas usei as caixas de papelão para transportar objetos mais frágeis e perfurantes”, conta.
Estudante organiza mudança em caixas de papelão e organizadoras
Ana Moura/Arquivo Pessoal
Na organização de cabos e eletrônicos, o cuidado deve ser ainda maior, segundo a especialista. O desenvolvedor Matheus Henrique Palma conta que se organizou separando os objetos por categorias. “Coloquei em caixas diferentes o notebook, mouse, teclado, fones, monitores e cabos. Depois embalei todos com tecidos para que não sofressem danos em caso de queda.”
Transporte da mudança
O transporte é uma das partes mais importantes do processo de mudança de casa. Por isso, é importante solicitar o telefone do motorista da transportadora responsável para que o profissional possa confirmar a entrega no novo endereço e esclarecer dúvidas.
Eliana Pace, professora de cursos na área de hotelaria e eventos no Senac de Sorocaba (SP)
Eliana Pace/Arquivo Pessoal
*Colaborou sob a supervisão de Fernanda Szabadi
Veja mais notícias do Mercado Imobiliário.



Leia na íntegra

Comentários
Carregando...
Assine a nossa newsletter
Assine a nossa newsletter
Inscreva-se aqui para receber as últimas notícias diretamente na sua caixa de entrada.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento