Quadrilha forjava até mandados de prisão e notícias sobre operações do MP contra as vítimas; há agentes públicos envolvidos.